domingo, 20 de setembro de 2015

MARIA, COM OUTRO CAPITÃO?


Por Sálvio Siqueira


                            
Heroína popular, decidida, corajosa, ciumenta, malfalada. Maria... Bonita Foto: Reprodução






                                Com uma bandeira do Panamá, tendo uma tripulação coreana, o navio japonês "Maria Bonita" corta os mares e oceanos, levando o nome e a cultura sertaneja para todos os povos...

                                Sabemos nós que o Sertão não tem nada haver com os mares, assim como vice versa. Mas, há tempos passados, existiu um navio cruzando os mares levando uma homenagem àquela que é símbolo de  mulher aguerrida. Uma mulher que acompanhou seu companheiro, o chefe cangaceiro Lampião, pelos caminhos tortuosos do cangaço.

                              "Maria Bonita" e seu capitão formam outra dupla. Desta vez nos oceanos e não nas caatingas sertanejas.
                               Em 1985 uma armadora de embarcações, lança ao mar, para sua primeira viagem mais um novo navio. Este era comandado pelo capitão Sumio Matsumoto, da companhia japonesa Mitsui O.S.K. Line, o qual escolhe o nome "Maria Bonita" para sua embarcação, além de ter em sua cabine, um manequim vestido de mulher, de uma mulher sertaneja, de uma mulher cangaceira... de Maria.

                               Capitão Matsumoto conhece a história e assume: "Eu sou o Lampião"
                                                                          Foto: Rubens Onofre


                                 O Presidente da Companhia japonesa, T. Yano, faz uma explanação contando, resumidamente, a história da cangaceira Maria Gomes de Oliveira,conhecida em seu lugar, antes de tornar-se bandida, como Maria de Déa, a qual, viria a ser conhecida no mundo como "Maria Bonita", depois que um Jornal carioca lança assim seu codinome.A escolha, segundo o comandante, foi minuciosa. Até um diretor da armadora esteve no Rio de Janeiro, especialmente para estudar a história de Maria e seu Capitão. Ao escolher o nome "Maria Bonita", colocou para apreciação dos dirigentes da empresa, os quais aprovaram por unanimidade tal escolha.


                              
O presidente da armadora falou de Maria Bonita no dia do batismo do navio.  Foto: Divulgação


                 O Capitão, quando da reportagem, cita que a história do cangaço tem dois lados. Um, é sobre o amor que nasceu entre Virgolino e Maria, e o outro, é o crime, a vingança, as atrocidades, o desespero, a agonia e a morte que acompanhava o grupo.
                            O "Maria Bonita" "É um navio próprio para o transporte de contêineres, moderno, com equipamentos sofisticados a bordo. Pertence a uma empresa registrada no Panamá, a Ocean Harmony S.A., controlada pela Mitsui, que aparece como a fretadora do navio. Tem 14 mil toneladas de porte bruto, 155 metros de comprimento por 25 de largura e calado que chega aos 10 metros. Viaja à velocidade de 15,3 nós horários.


                                        
O nome é uma homenagem da armadora japonesa à companheira de Lampião
e o navio fará a linha entre o Japão e portos brasileiros.
Foto: Rubens Onofre




                                                                               
                             A tripulação é composta por dois japoneses - o capitão e o 1º oficial - e 29 coreanos, inclusive sete membros da oficialidade. Os coreanos, hoje, na navegação internacional, tomaram conta de postos que anteriormente eram ocupados apenas por oficiais do país da bandeira do navio ou da nacionalidade da armadora"(Novo Milênio).

7 comentários:

  1. Parabéns pelo excelente artigo e, qualidade desse Blog..Abs..Volta Seca

    ResponderExcluir
  2. Uma matéria extraordinária, que bem evidencia a qualidade deste grupo. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí Francisca Alencar, são esses comentários que nos leva a pesquisar cada vez mais. Obrigado.

      Excluir
  3. Acompanhando o blog de vez em quando. Muito bom! continuem.

    ResponderExcluir